quinta-feira, 13 de abril de 2017

"Reunião - 10 Livros de Poesia" - Carlos Drummond de Andrade (1969)

Esta "postagem" trata da primeira edição da "Reunião - 10 Livros de Poesia" de Carlos Drummond de Andrade, editado pela José Olympio entre 1969 (Primeira edição) e 1980 (Décima e última edição no formato "10 Livros"). Foram 10 edições ao longo de 11 anos, distribuídas em 5 modelos de capa com "lay-out" semelhante em combinações distintas de cores (vide tabela abaixo).


10 edições:
Fundo cinza prateado e centro/título em azul: (1 edição)
1º Edição 1969
Fundo dourado e centro/título em vermelho (1 edição)
2º Edição 1971
Fundo cinza prateado e centro/título em vermelho (2 edições)
3º Edição 1973 / 4º Edição 1973
Fundo laranja e centro/título em azul (3 edições)
5º Edição 1973 / 6º Edição 1974 / 7º Edição 1976
Fundo verde e centro/título em marrom (3 edições)

8º Edição 1977 / 9º Edição 1978 / 10º Edição 1980

Em 1983 a José Olympio lançou a 11º Edição da "Reunião", então no formato de 19 livros de poesia, dividida em dois volumes.

Este exemplar custodiado em minha coleção foi autografado e dedicado por Carlos Drummond de Andrade para o jornalista e pioneiro critico literário Alagoano Valdemar Cavalcanti.


Capa da primeira edição.

Detalhe da capa.


Contracapa da primeira edição da
Reunião - 10 Livros de Poesia.


Orelha da capa.

Dedicatória de Carlos Drummond de Andrade
para o crítico literário Valdemar Cavalcanti.

Folha de rosto da primeira edição.


Bico de pena de Luis Jardim.


Detalhe tipográfico.

Orelha da contracapa.
Valdemar Cavalcanti (a direita) aproximadamente `a
época da dedicatória de Carlos Drummond.
Foto retirada do site: Histórias de Alagoas.

"Esquecer para lembrar - Boitempo III - Carlos Drummond de Andrade (1979) - 2 Dedicatórias

"Esquecer para lembrar" foi a terceira publicação da trilogia Boitempo, iniciada em 1968 com a publicação de Boitempo, pela editora Sabiá, e que teve sequência em 1973 com a publicação de "Menino Antigo - Boitempo II" pela José Olympio. Esta ultima edição da trilogia também foi de responsabilidade da Livraria José Olympio Editora e saiu do prelo em Novembro de 1979.

Recentemente adicionei dois exemplares a minha coleção e a dedicatória de um deles define este livro com perfeição: "Estas minúsculas lembranças de meu interior Mineiro que não existe mais"

A dedicatória acima foi oferecida para Cecília Jucá e Gastão de Holanda, que foram os parceiros responsáveis, entre 1976 e 1978, pela publicação da revista literária "JOSÉ". A relação de Gastão com Drummond vem desde "O Gráfico Amador", do qual foi um dos quatro fundadores. Em 1957 o livro "Ciclo" foi editado pelo "Gráfico".

O outro exemplar aqui descrito foi autografado e dedicado por Carlos Drummond de Andrade para o psicanalista Helio Pellegrino de forma extremamente apropriada: 

"A Helio Pellegrino,
        que entre esquecimento e lembrança desvenda o mistério do 
        ser,
o abraço cordial do
                     Carlos Drummond
                     Rio, Janeiro, 1980

Capa do terceiro e último livro da trilogia
Boitempo de Carlos Drummond de Andrade.

Dedicatória de Carlos Drummond de Andrade
para o psicanalista, poeta e escritor
Helio Pellegrino.


Orelha da capa.

Folha de rosto.




Detalhe da capa.

Contracapa da obra.


Detalhe tipográfico.

Dedicatória de Carlos Drummond de Andrade
para os parceiros gráficos Gastão de Holanda
e Cecília Jucá, editores da revista literária
"JOSÉ" entre 1976 e 1978.
Helio Pellegrino (segundo da esquerda para a direita)
com os amigos inseparáveis: Fernando Sabino, Otto
Lara Resende e Paulo Mendes Campos.

Gastão de Holanda, ao centro, com seus companheiros de
fundação do "O Gráfico Amador". Fotografia retirada do
livro "O Gráfico Amador".


terça-feira, 11 de abril de 2017

"Fala Amendoeira" - Carlos Drummond de Andrade (1957) Dedicatória.

"Fala Amendoeira" foi editado, nesta sua primeira edição, pela Livraria José Olympio Editora e saiu do prelo em Julho de 1957. Obra reúne crônicas publicadas no jornal "Correio da Manhã" nos anos 50.

Este exemplar carrega uma importante dedicatória para o poeta, tradutor e editor José Laurenio de Melo, que junto com Aloisio Magalhães, Gastão de Holanda e Orlando da Costa Ferreira, fundou "O Gráfico Amador" em Maio de 1954 na cidade do Recife.

A Dedicatória: "A José Laurenio de Melo, com o abraço amigo e agradecido de Carlos Drummond de Andrade. Rio, VIII. 1957

O agradecimento deve-se ao fato de Drummond ter tido editado, pelo "O Gráfico Amador", seu livro "Ciclo" com tiragem de 96 exemplares, em 16 de Maio de 1957, três meses antes desta dedicatória agradecida de Agosto de 1957.

Capa da primeira edição de "Fala Amendoeira"

Detalhe da lombada da obra.

Detalhe da capa.

Trabalho gráfico da capa.


Orelha da capa.

Dedicatória de Carlos Drummond de Andrade
para José Laurenio de Melo, um dos
fundadores do "O Gráfico Amador".

Folha de rosto.

Edição dedicada a Paulo Bittencourt.

Justificativa da tiragem fora do camércio.


Contracapa da primeira edição.

Orelha da contracapa.


José Laurenio de Melo (esquerda), Gastão de Holanda
(centro) e Orlando da Costa Ferreira (direita).
Fundadores do "O Gráfico Amador"
Foto retirada do livro: O Gráfico Amador.

Capa da bela edição de "Ciclo" de Carlos
Drummond de Andrade (Maio de 1957).
Foto da capa retirada do livro:
"O Gráfico Amador".

quinta-feira, 30 de março de 2017

"Poesias Completas" - Manuel Bandeira (1948) - Autografado

Quarta edição das poesias reunidas de Manuel Bandeira e a terceira a usar "Poesias Completas" como título (a edição considerada primeira, da reunião de poesias até então, foi a de 1924, cujo título era "Poesias" somente.). "Poesias Completas - Edição Aumentada" de 1948 foi a primeira editada pela "Casa do Estudante do Brasil - CEB" e teve o formato brochura com 349 páginas. A CEB seria responsável também pela edição da quinta reunião de poesias em 1951.

Comparando-se com a edição anterior da Editora Americ (1944), este livro teve a adição do volume "Belo Belo". Tiragem desta edição: 2000 exemplares.

O exemplar recentemente adicionado a minha coleção foi autografado e dedicado para o arquiteto, pintor, aquarelista e desenhista Carlos Leão (Caloca) e sua esposa Ruth. Carlos Leão formou-se pela Escola de Belas Artes em 1931 e foi amigo e sócio de Lucio Costa, em seu escritório de arquitetura, tendo participado da equipe que elaborou o projeto do emblemático edifício do Ministério da Educação e Saúde (Palácio Gustavo Capanema), a partir de esboços imprecisos de Le Corbusier. Como artista plástico, Carlos Leão deixou sua marca com finíssimos traços que capturavam toda a sensualidade de suas modelos nuas. Caloca também ilustrou diversas obras literárias de seus amigos escritores, como seu cunhado Vinicius de Moraes (Poemas, Sonetos e Baladas - 1946 e Poemas de Muito amor - 1982) e Carlos Drummond de Andrade (Amor, Amores - 1975 e outras nos anos 80). 


Capa da obra

Detalhe gráfico da capa.


Detalhe da lombada.



Dedicatória de Manuel Bandeira para: O
artista plástico e arquiteto Carlos Leão e
sua esposa Ruth.

Folha de rosto.


Detalhe gráfico.


Contracapa da obra.


Detalhe da contracapa.


Orelha da capa.
Carlos Leão.

Desenho de Carlos Leão tendo Susana de Moraes, sua
sobrinha como modelo.